Minas por Região
Segurança / Defesa Social

18h25min - 21 de Agosto de 2009 Atualizado em 15h55min - 24 de Junho de 2013

Campanha de desarmamento é realizada em aglomerado de BH

BELO HORIZONTE (21/08/09) - A Pedreira Prado Lopes (PPL), em Belo Horizonte, foi palco de mais uma etapa da Campanha “Desarma Brasil”. Nesta sexta-feira (21), o aglomerado recebeu a 6ª edição da “Caravana da Comunidade Segura 2009” que já percorreu mais de 20 capitais brasileiras para conhecer a Campanha do Desarmamento nos Estados e incentivar o interesse da sociedade pela segurança pública. O evento foi realizado na sede do Núcleo de Prevenção à Criminalidade da PPL da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

Até recentemente a PPL se notabilizava pela violência e criminalidade. Hoje, vem apresentando índices de criminalidade cada vez mais reduzidos, sobretudo em relação aos homicídios. “Fazer esta campanha aqui, é uma oportunidade de resgatar o estímulo e a velocidade na arrecadação de armas de fogo, hoje disponíveis na comunidade”, revelou o secretário de Estado de Defesa Social, Maurício Campos Júnior.

Para o coordenador nacional da campanha, Everardo Aguiar Lopes, o momento é importante devido ao seu papel na conscientização da população sobre o risco de se ter uma arma em casa. Segundo ele, 70% dos homicídios ocorridos no Brasil são provenientes das “armas dos chamados homens de bem”, que a adquiriram apenas com o intuito de defender-se.

Ele destacou a existência de estudos que apontam que raramente as pessoas deste grupo conseguem usar as armas para fins de prevenção, por causa do fator “surpresa”. “Um bandido não avisa quando resolve invadir sua casa. Cidadãos armados pessoas acabam sendo vítimas de suas próprias armas quando têm um acesso de raiva ou quando uma criança a encontra em cima do guarda-roupa ou embaixo da cama. É um mito pensar que ter uma arma em casa vai te proteger”, relatou Lopes.

Recadastramento

Esta etapa da campanha ainda prevê a indenização de R$ 100 a R$ 300 para quem entregar arma de fogo, dependendo do modelo e calibre. As entregas são voluntárias e sem prazo para serem realizadas. Para transportar a arma até um dos postos de coleta, o interessado que não tem o registro e o porte deverá preencher uma Autorização para Trânsito de Arma de Fogo, que pode ser obtida no site da Polícia Federal (www.pf.gov.br).

Para aqueles que quiserem continuar de posse da arma, o recadastramento pode ser feito até o dia 31 de dezembro de 2009. “O interesse em recadastrar o cidadão é para saber que a arma existe, a quem pertence e o local onde se encontra. Quem não optar pela regularização e não entregar sua arma estará na ilegalidade. A pena varia de um a três anos de detenção”, alertou o delegado da Polícia Federal, Daniel Fantini.

A Campanha de Desarmamento teve seu ápice no Brasil entre 2003 e 2005, quando 500 mil armas foram entregues voluntariamente por meio de ação do Governo Federal. Em 2008, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) assinou convênio com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), a Superintendência Regional da Polícia Federal, as polícias Civil e Militar e a Agência de Cooperação e Desenvolvimento Social (Acodes), para retomar a campanha de desarmamento no Estado.

O objetivo é ampliar o número de postos de recolhimento, uma vez que somente em Belo Horizonte e Região Metropolitana foram recolhidas 1527 armas e registradas outras 6.800. Somente este ano já foram recebidas 483 e cadastradas outras 16 mil.

Estatísticas

Uma média de 800 mil armas de fogo é destruída anualmente no Brasil. Os problemas decorrentes do porte indevido, no entanto, avançam. As estatísticas apontam que para cada arma destruída no mundo, outras dez são fabricadas. Atualmente, mais de 600 milhões estão em circulação em todo o mundo e são responsáveis pela morte de 740 mil pessoas por ano.

Segundo o coordenador do Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública da UFMG (Crisp), professor Cláudio Beato, dos anos 80 até hoje, as estimativas mostram que 650 mil pessoas morreram no Brasil por arma de fogo. Pelo menos 7,5% da população tem uma arma em casa. “A violência por arma de fogo tem atingido principalmente os jovens. Em Belo Horizonte, nas áreas onde é bem sucedido o controle de homicídio, há estratégias rigorosas de controle de armas, especialmente entre jovens envolvidos com gangues. Por isso, é importante o trabalho de prevenção”, destacou Beato.

Queda

De acordo com o secretário Maurício Campos, Minas Gerais tem apresentado uma redução muito consistente nos números de homicídios. Tomando como base os Núcleos de Criminalidade Morro das Pedras, Pedreira Prado Lopes, Ribeiro de Abreu, Conjunto Felicidade, Alto Vera Cruz e Cabana, observa-se uma redução de 79% no total de assassinatos no período de janeiro a maio entre os anos de 2005 a 2008.

No caso da Pedreira, esta redução alcançou até 100%. Em 2009, foram registradas apenas sete ocorrências de homicídios no local. “Desde 2005, foram incrementadas políticas de prevenção muito determinadas, especialmente entre jovens de 14 a 24 anos. O Programa Fica Vivo! tem uma participação muito importante nestes resultados”, disse.

Ainda de acordo com Campos Júnior, o Estado vem reduzindo os indicadores de criminalidade seguindo um modelo de gestão sistêmica, que compreende a necessidade de investimentos e estruturação nas ações de polícia, mas que não abre mão de investir na prevenção. “Só há sustentabilidade na redução de indicadores de criminalidade violenta quando há políticas de prevenção social agregadas nas áreas de maior vulnerabilidade social como a Pedreira Prado Lopes”, completou.

O encerramento da solenidade foi marcado por performances circenses do Programa Fica Vivo! e pelas exposições do Movimento Desarma Brasil, do professor Cláudio Beato como coordenador do Crisp, do representante da Campanha do Desarmamento em Minas e ainda pela apresentação do filme “Pedreira em Ação”, documentário exibido recentemente no Festival Internacional de Cinema, do Rio de Janeiro.

SEGOV - Secretaria de Estado de Governo de Minas Gerais

Desenvolvido por marcosloureiro.com

Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves

Rodovia Prefeito Américo Gianetti, 4001
Edifício Gerais, 1º andar
Bairro Serra Verde - BH / MG
CEP: 31630-901
Tel.: +55 31 3915-0262

Telefones de Contato