Minas por Região
Governador

15h43min - 20 de Dezembro de 2011 Atualizado em 08h46min - 28 de Junho de 2013

Governador Anastasia reúne secretariado e faz balanço das ações executadas em 2011

BELO HORIZONTE (20/12/11) - O governador Antonio Anastasia reuniu, nesta terça-feira (20), no Palácio Tiradentes, o vice-governador Alberto Pinto Coelho e o secretariado para a última reunião do ano, quando foi feito um levantamento geral das ações do Governo de Minas em 2011. Durante a reunião, foram apresentados os primeiros resultados do Projeto Estratégico Governança em Rede, iniciado como piloto nas regiões Norte de Minas e Rio Doce. Em 2011, foram criados os comitês regionais e estratégicos e as câmaras multissetoriais. Além disso, foi realizado um fórum regional que definiu a agenda de prioridades.

“Terminamos 2011 com saldo positivo, ainda que tenhamos uma crise internacional que afeta a economia brasileira e a economia de Minas Gerais. Mas estamos muito otimistas com a estrutura que temos de planejamento no nosso Estado. Com atração de empresas e com resultados positivos na educação, saúde, segurança, uma política social muito inovadora que fizemos, e, em especial, de um programa muito importante, que é o Gestão para a Cidadania, que foi apresentado aqui nos seus projetos pilotos, no Norte de Minas e no Vale do Rio Doce”, afirmou Anastasia.

O Estado em Rede é a terceira etapa do Choque de Gestão, iniciado com enfoque no equilíbrio fiscal e, posteriormente, focado no alcance de resultados efetivos, ou Estado para Resultados. A intenção é consolidar o programa nessas duas regiões no próximo ano com a implementação das ações, para que em 2013 possa se expandir para todas as regiões mineiras.

Essa nova forma de gestão garante expandir o enfoque regional e a participação da sociedade civil organizada na indicação de prioridades para atuação governamental. Ela permite a otimização do uso de recursos financeiro, técnico e humano do Estado, uma vez que possibilita que um problema seja atacado em diversas frentes simultaneamente.

“O governo é sempre um eterno fazer. Sempre queremos fazer mais, mas acho que o saldo foi muito positivo e é claro que queremos que no ano que vem façamos mais que fizemos neste ano”, ressaltou o governador.

Trechos da entrevista do governador Antonio Anastasia

Saldo positivo em 2011

Fizemos uma reunião tradicional que se faz ao final de um ano, não digo que é um balanço, mas um levantamento daquilo que realizamos, e realizamos muito, felizmente, em todas as áreas, mas também algumas premissas para o ano de 2012. Terminamos 2011 com saldo positivo, ainda que tenhamos uma crise internacional que afeta a economia brasileira e a economia de Minas Gerais. Mas muito otimistas com a estrutura que temos de planejamento no nosso Estado. Com atração de empresas e com resultados positivos na área da educação, da saúde, da segurança, da política social muito inovadora que fizemos, e em especial de um programa muito importante, que é o Gestão para a Cidadania, que foi apresentado aqui nos seus projetos pilotos, no Norte de Minas e no Vale do Rio Doce. Vamos continuar trabalhando, o ano que vem já está praticamente aí, ficar muito atentos à questão econômica internacional, inclusive é a posição também do governo federal, mas otimistas em razão até da robustez da economia mineira como um todo.

Desafios para 2012

São muitos. O desafio está em todas as áreas. Na realidade nós temos de dar, em primeiro lugar, prosseguimento ao que já está sendo feito. Minas Gerais conquistou um patamar muito elevado de reconhecimento interno e internacional em relação à sua gestão pública. Nós temos de avançar ainda mais, não podemos ficar tão somente naquilo que já conquistamos. Minas Gerais tem de apresentar indicadores que sejam ainda mais positivos nas diversas áreas das políticas públicas. Esse é um grande desafio. Porque especialmente no momento em que possamos não ter tantos recursos financeiros disponíveis, temos de ter ousadia e criatividade para enfrentarmos a situação.

Foco na geração de empregos

A ordem de economizar é permanente. Todos os governos, o governo federal e os governos estaduais, como um todo, têm dado essa orientação. Economizar no custeio, economizar naquelas áreas que nós podemos diminuir despesas em atividades meio para focar mais na atividade finalística, naquelas atividades que possam permitir a geração de empregos no setor privado, que é a nossa obsessão e continua sendo obsessão primeira. A geração de empregos de qualidade significa que a riqueza vai ser ampliada, circular, o que permite o aumento da atividade econômica e, a médio prazo, mais tributos e, é claro, melhor infraestrutura para o Estado como um todo.

Diversificação da economia

O balanço é positivo. Estamos conseguindo, felizmente, mostrar que a necessidade de agregação ao valor dos produtos mineiros é importante, não só na cadeia mineral e siderúrgica, que é tradicional e vai continuar existindo em Minas, mas fundamentalmente na questão da nova economia. Tanto que nós colocamos aqui, como exemplo das várias ações que fizemos neste ano, a instalação do escritório da Embraer aqui em Minas Gerais, exatamente com esse propósito. É a chamada nova economia, economia fundada na questão tecnológica, na questão de informação, e no esforço que o governo vem fazendo para atrair empresas desse segmento.

Secretariado

Não há previsão de modificação da estrutura orgânica das secretarias. Com referência a nomes, os secretários de Estado, a qualquer momento, podem eventualmente ser nomeados, exonerados, substituídos, podem pedir para sair, podem ser trocados. Não há nenhuma data fixada para esse tipo de medida. Isso faz parte da rotina da administração. O governo vai trabalhando bem, vamos terminar bem o ano. O objetivo é que em 2012 tenhamos um ano ainda melhor do que foi 2011.

Plano de ação

Combinei com os secretários que durante o mês de janeiro vamos nos reunir, um a um, para rever de maneira bem meticulosa o planejamento de 2012, tendo em vista os recursos que teremos para organizarmos o plano de ação com base no orçamento que foi aprovado na Assembleia. Diversos projetos foram aprovados neste final de ano, inclusive aqueles que autorizam os empréstimos junto a organismos internacionais e ao BNDES. A minha ideia é fazer em março uma reunião, aí bem maior, a reunião gerencial, com o governo como um todo, todos os secretários, adjuntos, estatais, autarquias, fundações, para mostrarmos de maneira mais detalhada o planejamento de 2012.

Chuvas

Despachei hoje de manhã, antes da reunião, com o coronel Martins, chefe do Gabinete Militar e que é o responsável pela Defesa Civil, e ontem eu conversava com o prefeito Marcio Lacerda sobre os impactos da chuva. Pedi o levantamento e é interessante observar como nos últimos dois três anos aumentou de maneira exponencial o índice pluviométrico de dezembro em Belo Horizonte. A média de 320 ou trezentos e poucos milímetros por mês, nós já estamos a essa altura do mês com 550. Em 2008, foram mais de 600. Então, de fato, há uma mudança do regime de chuvas. Isso é o primeiro ponto. A prioridade é evitar perdas humanas. Essa é a prioridade absoluta. Por isso o treinamento permanente das Comissões Municipais de Defesa Civil em articulação com a Comissão Estadual para fazer os alertas em qualquer momento em que haja um perigo de perda de vida humana, para que ela não ocorra. Estamos conseguindo minimizar ao máximo. Eu gostaria que não tivesse nenhuma perda de vida humana, mas tivemos já duas perdas de vidas em relação às chuvas. Espero que não vá além disso. Vamos trabalhar nesse sentido.

SEGOV - Secretaria de Estado de Governo de Minas Gerais

Desenvolvido por marcosloureiro.com

Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves

Rodovia Prefeito Américo Gianetti, 4001
Edifício Gerais, 1º andar
Bairro Serra Verde - BH / MG
CEP: 31630-901
Tel.: +55 31 3915-0262

Telefones de Contato